top of page
  • Foto do escritorJéssica Freitas

Como fazer um casamento inter-religioso



É muito comum que noivos tenham a mesma religião e assim ao se casar, seguem a tradição e os ritos da religião de ambas as partes. Porém, também é bastante comum que casais não sigam a mesma religião e também não sintam a necessidade de se converter para ter um relacionamento harmonioso. Mas o que fazer na hora de celebrar o casamento?


Uma solução para esse impasse é a realização de um casamento inter-religioso e nesse texto daremos algumas dicas de como celebrar sua união com um parceiro (a) de religião diferente.


Qual a diferença entre casamento inter-religioso e ecumênico?


O casamento ecumênico se refere a noivos de diferentes igrejas cristãs e não religiões distintas. Pode ser conhecido também como casamento interconfessional. Já o casamento inter-religioso se refere a casamentos entre pessoas de diferentes fés como judeus e budistas, cristãos e umbandistas, entre outros.


No caso de casamento ecumênico o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs pode ajudar a orientar os noivos com informações de como e quais líderes religiosos estão aptos a realizar esse tipo de cerimônia.


No caso do casamento inter-religioso muito depende das religiões dos noivos e esses terão que buscar orientação em suas respectivas comunidades.


Cuidados ao organizar um casamento inter-religioso


O primeiro passo para um casamento inter-religioso e que os noivos conversem com seus respectivos pastores, padres, rabinos e etc. Eles saberão orientar se estiverem aptos a realizar esse tipo de cerimônia e caso contrário indicar alguém que possa fazer esse papel.


É preciso ter em mente que pode o local para a celebração deve ser neutro, provavelmente não será no templo nem de uma nem da outra religião. O ideal é encontrar um salão de festas, hotel, chácara, mas que atenda as especificações de cada religião.


O convite também deve indicar que a cerimônia será mistas, assim os convidados de ambos os noivos, que provavelmente também serão de diferentes religiões estarão cientes.


O cardápio deve ser pensado para acomodar ambas as religiões também, os budistas, por exemplo, não comem carne, judeus não comem carne de suínos, etc.


Na decoração é melhor evitar símbolos religiosos, especialmente se houver possibilidade de serem conflitantes. Mas os celebrantes podem ser consultados sobre o que é necessário para a cerimônia dentro do rito religioso.


Será preciso encontrar celebrantes de ambas as religiões que estejam abertos a casamentos mistos e também dispostos a acomodar ambos os ritos. Idealmente, as similaridades entre as religiões e a união pelo amor dos noivos deve ser enfatizada.


Cerimônias alternativas


Outra opção é fazer uma cerimônia alternativa que pode ser realizada por diferentes celebrantes, são laicas e focam na história do casal e em seu amor. Veja aqui algumas opções:


Cerimônia das Areias


A cerimônia das areias às vezes é atribuída aos nativos do Havaí que buscariam areia na praia e a depositariam em um recipiente no altar, a mistura das areias seria um símbolo da união do casal, uma vez que não seria mais possível separar as areias uma vez que misturadas.



Hoje usa-se areias coloridas e as cores têm diferentes significados como o amor do rosa, a lealdade do azul e a esperança do verde. No altar fica um recipiente de cristal onde as areias serão misturadas e mais dois recipientes com as areias do noivo e da noiva. É comum que o celebrante diga "Assim como não é possível separar os grãos de areia, que o amor do casal seja inseparável, indissolúvel."


Podem haver menções a passagens bíblicas ou de outros textos sagrados, ou menções aos pais de ambos os noivos entregando a areia para eles, essas variações podem ser incluídas de acordo com a vontade do casal e do celebrante.


Cerimônia das Taças


Existem duas versões, uma é bastante similar a cerimônia das areias. No altar ficam duas taças, uma com vinho tinto e uma com vinho branco e um jarra. O casal pega as duas taças e mistura os vinhos na jarra. O vinho rosado que resulta é um símbolo da união do casal que também não pode mais ser separada. Os noivos se servem novamente nas taças da nova bebida e brindam para celebrar sua união.



Na outra versão uma taça tem uma bebida doce, que simboliza os bons momentos que virão do casamento, e uma bebida amarga, que por sua vez simbolizam as dificuldades que o casal irá enfrentar. Ambos os noivos bebem um pouco da bebida amarga, porque compreendem que existirão momentos difíceis, depois o noivo joga fora a bebida amarga e quebra a taça (com muito cuidado)


Por fim, os noivos dividem a bebida doce para significar o compartilhamento de suas vidas juntos e seu amor. Em seguida, o noivo novamente quebra a taça (com muito cuidado) para que ninguém mais possa compartilhar o que é apenas dos dois.


Cerimônia das Velas ou da Luz


Essa cerimônia pode envolver também as famílias. No altar ficam três velas, duas de tamanhos iguais e uma maior que todas. Os pais do noivo acendem uma vela, que simboliza sua família e passam para o noivo. Os pais da noiva fazem o mesmo e lhe entregam a vela. O noivo e a noiva juntos usam suas velas para acender a terceira e maior vela que simboliza a nova família que nasce da união das duas.

É preciso ter muito cuidado e tomar precauções para evitar acidentes com essa cerimônia.



_ _ _


Essas foram algumas maneiras de celebrar um casamento entre pessoas de diferentes religiões ou denominações cristãs. O importante é que os noivos estejam felizes e preparados para iniciar sua nova vida juntos e possam celebrar esse grande dia com todos que amam ao seu lado. Gostou da ideia? Conta para gente se pretende realizar um casamento misto nos comentários.



578 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page